Cultivando uma "mente teflon"

Um grande presente que ganhamos com a prática de mindfulness é que ela nos permite cultivar uma “mente teflon”, em que os pensamentos repetitivos e negativos não "grudam"

 

## Em geral, a mente é como um velcro em que se agarram pensamentos de todos os tipos: preocupações, a lembrança de uma discussão que tivemos no trabalho, a musiquinha chata que grudou na cabeça, o comentário que alguém postou no Facebook, uma notícia que nos deixou impressionados, memes da internet etc etc etc. São pensamentos que aparecem independentemente da nossa vontade e ficam voltando nos momentos mais inoportunos, atrapalhando nossa concentração, tirando o foco do que estamos fazendo.

 

Muitos desses pensamentos trazem emoções junto. A lembrança da discussão no trabalho ressuscita a raiva que sentimos naquele momento. As preocupações nos deixam ansiosos. Culpa, frustração, tristeza, indignação e outras emoções que preferíamos não ter ficam voltando como assombrações, às vezes não nos deixam dormir, às vezes tumultuam o nosso dia.

 

Isso é familiar para você? Para mim também. Assim somos todos nós, porque assim é a mente humana, e não há do que se julgar ou envergonhar. Talvez não possamos evitar esses pensamentos, mas temos a escolha de deixá-los ir. Se se os deixamos ir, eles não “grudam”.  Isso é a “mente teflon”, expressão usada pelo americano Mark Coleman, autor do livro Make Peace With Your Mind.

 

Em nossa prática de mindfulness,  flagramos a todo instante a mente viajando em algum pensamento e temos a atitude de deixar ir, sem julgamento, simplesmente retornando a atenção para onde ela estava. Isso não só impede que o pensamento grude, como também é um exercício de “desidentificação” daquilo que pensamos. Pensamentos são só pensamentos, não verdades absolutas sobre nós, os outros ou a vida, nem previsões do futuro. Você não precisa identificar-se com eles se quiser.

 

Quanto mais treinamos isso em nossos momentos diários de prática formal, mais aptos ficamos a fazer o mesmo a qualquer momento do dia, sempre que surgem pensamentos negativos, julgamentos, preocupações, viagens na maionese que tiram o nosso foco do que estamos fazendo. Além de nos estabilizar mental e emocionalmente, a atitude de “deixar ir” poupa nossa energia e permite que a direcionemos para aquilo que realmente é importante. Atenção é energia. 

 

Bendito seja o mindfulness nosso de cada dia!

 

A prática de mindfulness é a base do Programa Você Mais Centrado - foco, bem-estar e satisfação com você mesmo. Clique aqui para saber mais.

 

Compartilhe
Please reload

Categorias
Please reload

Outros conteúdos

October 25, 2017

Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square