Qual é nosso limite para suportar o stress?

 

Até certo ponto, o stress é positivo, pois nos impulsiona para a ação. Mas o que pode acontecer quando seus efeitos começam a se acumular no organismo?                                                                    

## Em primeiro lugar, não se julgue por sentir-se estressado. Ter stress não é sinal de fraqueza nem de que você não “segura a onda”.

 

O stress é uma reação natural do organismo a situações que percebemos como ameaças ou adversidades: conflitos, problemas, imprevistos, pressões, múltiplas demandas, excesso de informação para lidar...

 

Quando seu cérebro se depara com essas situações, automaticamente dispara um processo para a sua defesa. São liberados os hormônios do stress, adrenalina e cortisol, que lhe dão um pico de energia para reagir.

 

Em princípio o stress é positivo, pois visa nossa autopreservação e nos impulsiona para a superação. Apesar do natural nervosismo, a ação da adrenalina nos faz sentir cheios de energia e somos capazes de grandes esforços para superar a situação desafiadora. Depois o organismo se recupera, o stress “zera” e ficamos prontos para outra.

 

O problema é que, neste mundo complexo, competitivo e cheio de incertezas, somos expostos a eventos estressantes com grande frequência; os hormônios podem acumular-se no organismo e causar prejuízos à a capacidade de raciocínio e decisão, à saúde e ao equilíbrio emocional.

 

É aí que entramos na versão negativa do stress, chamada distresse. O corpo fica cheio de tensões e a imunidade cai, nos deixando suscetíveis a doenças oportunistas. Às vezes, percebemos alguma dificuldade de raciocínio e memória e sentimos um cansaço maior que o normal. Se nada for feito para combater o distresse, podemos chegar ao estado de exaustão, em que aparece uma doença mais séria, ficamos apáticos, não conseguimos mais trabalhar, nos sentimos esgotados e confusos. Para sair dessa situação, precisamos de ajuda médica.

 

Hoje, entre as diversas formas de gerenciar o stress, estão os programas de mindfulness, que aumentam a capacidade de recuperação do organismo e nos ajudam a mudar a forma de encarar situações estressantes.

 

Outra forma de combater os efeitos do stress é realizar atividades que geram os chamados hormônios do bem-estar, como: praticar atividade física de média a alta intensidade (é preciso suar); ter momentos de descanso e lazer; dedicar-se a um hobby; divertir-se, dar boas risadas; e ajudar o próximo. Em um próximo post, aprofundarei esse assunto. 

 

A prática de mindfulness é a base do Programa Você Mais Centrado - foco, bem-estar e satisfação com você mesmo. Clique aqui para saber como o programa funciona e o que você pode aprender com ele. 

Compartilhe
Please reload

Categorias
Please reload

Outros conteúdos

October 25, 2017

Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square