Coloque o cérebro para ajudar você a emagrecer


Conheça um novo ingrediente dos programas de emagrecimento, que utiliza recursos da neurociência para proporcionar saciedade e lidar com a ansiedade por comida.

Se você teve curiosidade por este artigo, possivelmente já se desencantou com dietas da moda, fórmulas milagrosas e promessas de emagrecimento fácil, que podem até fazer efeito no começo, mas não mantêm o peso ideal ao longo do tempo. Não são formas do emagrecimento sustentável que realmente buscamos.

Talvez esteja até se convencendo daquilo que nutricionistas pregam: para emagrecer é preciso comer com melhor qualidade e menor quantidade. Mas colocar isso em prática é um desafio, não é? Às vezes, a refeição acaba antes da fome, e a gente levanta da mesa parecendo que nem comeu. E o que fazer quando bate aquela ansiedade louca por comida?

Mas nem tudo está perdido. Há um novo ingrediente na recomendação de quem busca emagrecer ou simplesmente manter a forma, e que nos ajuda muito a lidar com esse desafio: dirigir a atenção para o ato de comer, sem pressa, mastigando bem e desfrutando ao máximo as sensações agradáveis provocadas pela degustação do alimento.

E o que o cérebro tem a ver com isso? É que, ao comer com atenção e sem pressa, damos tempo a ele para registrar a presença de alimento no estômago e produzir a sensação de saciedade. Podemos nos sentir satisfeitos comendo menos.

A pressa é inimiga da saciedade

Em nossa corrida rotina, muitas vezes o tempo de refeição fica espremido entre compromissos e afazeres, e acabamos comendo com pressa, sem mastigar adequadamente, sem desfrutar da refeição e, principalmente, sem perceber os sinais que o corpo dá quando já comemos o suficiente: a saciedade.

Saciedade não é aquela sensação de estômago explodindo, onde não cabe mais nada. É um bem-estar produzido pelo cérebro, que surge aproximadamente 20 minutos depois que começamos a comer, tempo necessário para uma troca de mensagens químicas entre estômago e cérebro. A sensação de saciedade é o indicador de que nosso corpo está alimentado.

Comer sem pressa e com atenção, desfrutando do prazer da refeição, é um dos príncípios do comer consciente - ou mindful eating, como o conceito é internacionalmente conhecido. Cada vez mais nutricionistas e endocrinologistas estão recomendando a seus pacientes que adotem essas atitudes.

Para melhores resultados, a prática de mindful eating é incorporada a programas de mindfulness, uma nova disciplina da neurociência que, entre outros benefícios, proporciona maior consciência corporal e oferece recursos para lidarmos com a ansiedade.

Leia também: Como o comer consciente (mindful eating) ajuda a controlar o peso

Mindful eating e o controle da ansiedade são temas tratados pelo Programa Você Mais Centrado com Mindfulness. Clique aqui para saber mais!

Categorias
Outros conteúdos
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square